Haverá mobilizações contra o trabalho aos domingos

A intenção de liberar o trabalho aos domingos faz parte do pacote da MP 769, apresentada no Congresso Nacional, na segunda-feira, pela equipe econômica do governo Bolsonaro. De acordo com o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah (foto), se a ideia de trabalhar aos domingos caiu quando o governo tentou colocá-la na MP da Liberdade Econômica, em agosto, nada impede que seja derrubada novamente.

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, afirmou que sindicalistas farão uma mobilização contra a tentativa de liberar trabalho aos domingos por parte do governo Jair Bolsonaro.

A medida está prevista no programa de emprego anunciado pela equipe econômica, que prevê, ainda, a taxação do seguro-desemprego, para bancar a desoneração da folha de pagamento das empresas. Na prática, é imposto sobre desempregados. De acordo com Patah, se a ideia de trabalhar aos domingos caiu quando o governo tentou colocá-la na MP da Liberdade Econômica, em agosto, nada impede que seja derrubada novamente.

O relato foi publicado na coluna Painel, do jornal Folha de São Paulo. Com o trabalho aos domingos, o trabalhador terá direito a repouso semanal remunerado em qualquer outro dia da semana. Atualmente, apenas alguns setores, por convenção coletiva, podem atuar nesses dias.

Fonte e foto: UGT PR

FECEP - Federação dos Empregados no Comércio do Estado do Paraná

Endereço: R. Mal. Hermes, 910 - Centro Cívico

Telefone: (41) 3352-2754 - Fax: (41) 3252-3121